sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Nicarágua faz preparação para eliminatórias no Rio

Stéfano Salles . 28.12.07


Mais uma equipe estrangeira chegou ao Rio de Janeiro para realizar pré-temporada. É a seleção da Nicarágua, 161ª no ranking da Fifa, que está hospedada no centro de treinamentos do Tigres, em Duque de Caxias se preparando para as eliminatórias da Concacaf para a Copa de 2010, na África do Sul. A busca pela inédita classificação terá início dia 6 de fevereiro quando, em casa, a equipe receberá a seleção das Antilhas Holandesas (181ª), no primeiro playoff classificatório.

O futebol não é o esporte mais popular da Nicarágua. O país segue a tradição da América Central que, culturalmente influenciada pelos EUA, tem verdadeira paixão pelo Beisebol. A equipe tem feitos bastante respeitáveis no esporte, tendo sido cinco vezes vice-campeã mundial, cinco vezes terceira colocada na Copa do Mundo e quarta colocada nas Olimpíadas de Atlanta, em 1996. Recentemente o país levou a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro.

Devido ao baixíssimo nível técnico do esporte no país, a seleção nicaragüense é conhecida no cenário internacional como “La Cenicienta”, a menina pobre e sofredora mal-tratada pela madrasta, personagem infantil que em português é conhecida como Cinderela. O panorama não mudou nos últimos anos e os resultados alcançados não deixam dúvidas quanto a sua fragilidade. A equipe entrou em campo quatro vezes nesta temporada, buscando classificação para a Copa Ouro, e perdeu três jogos: 1 a 0 para a Guatemala, 2 a 1 para El Salvador e 9 a 1 para Honduras, na última rodada. Venceu apenas o Belize (4x2), 201º e último colocado do ranking da Fifa. Aliás, os belizenhos são um capítulo a parte na história do futebol da seleção. São os melhores rivais, pois perderam os últimos quatro confrontos diretos.

A vitória trouxe importantes sinais do primitivismo do futebol local: nunca antes um atacante pinollero (apelido derivado de uma bebida tradicional a base de milho e chocolate) havia marcado três gols em uma só partida internacional e jamais a Nicarágua havia marcado quatro vezes em uma partida da Copa das Nações. O autor da façanha foi Emilio Palacios, de 24 anos, que jogava no Diriangén e se transferiu para o Independiente Nacional 1906, de El Salvador. Os grandes destaques da Nicarágua atuam no futebol salvadorenho. É o caso dos atacantes Shawn Martin, de 20 anos e Wilber Sanchez, 28, atleta do San Salvador, clube da capital do país vizinho. Já Samuel Wilson defende o hondurenho Atlético Olanchano.

Pretensões

Carlos Del Toro, argentino que dirige a seleção, falou ao jornal Nación, de Manágua, com uma maneira simples e objetiva após ser questionado sobre onde pretendia chegar com a seleção da Fenifut: “Se a Nicarágua sempre foi última, não podemos desejar o primeiro lugar em um espaço de tempo tão breve”.

Amistosos

A seleção alvicerúlea tem alguns amistosos agendados nesta temporada tupiniquim. O primeiro adversário será o time de juniores do Vasco, que se prepara para a Copa São Paulo de Juniores. A partida acontecerá neste sábado. O Friburguense será o adversário do dia 8 e o Volta Redonda, do dia 10 de janeiro.
Colaborou: Ivan Congílio Mazzuia.

Nenhum comentário: